Um pedestre morre atropelado a cada 48 horas nas duas principais rodovias do Ceará


Um pedestre perde a vida atropelado a cada 48 horas nas duas principais rodovias que cortam o Ceará. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal, em 2020 foram 41 atropelamentos com oito mortos na rodovia BR-116. Já em 2021, houve 35 atropelamentos com nove óbitos.

Já na rodovia BR-222, foram 30 atropelamentos com sete mortos neste ano. Em 2020 foram registrados 26 atropelamentos com duas mortes.

Estatísticas da Secretaria da Saúde mostram também que entre janeiro de 2017 e outubro de 2021 foram registradas 972 mortes. Destas, 192 envolvem colisão com veículo a motor de duas e três rodas. Outras 171 mortes com colisão com carro, pick up ou caminhonete. E 57 pessoas morreram sendo atropeladas por carros pesados ou ônibus.

Risco ao usar o celular

O inspetor de comunicação social da PRF-CE, Márcio Moura, explica que os pedestres e motoristas estão cada vez mais desatentos por conta dos aparelhos celulares, um dos fatores que influenciam na ocorrência de acidentes.

“Um dos fatores que acontece o acidente hoje em dia é a falta de conectividade das pessoas. A pessoa está cada vez conectada ao wi-fi e à internet. Menos conectada ao ambiente. Então as pessoas querem atravessar a rua olhando para o celular, o motorista por sua vez também está com celular e essa falta de atenção é um dos fatores que podem acarretar dentre vários outros”, explica.

Márcio Moura acrescenta como fator que influencia nos atropelamentos é a falta de sinalização em outros acidentes como colisões envolvendo veículos. “Outro detalhe importante é quando a pessoa sofre algum acidente ela não sinaliza. A sinalização é muito importante para evitar acidentes como também atropelamento.”

Foto: Rafaela Duarte/SVM / Fonte: G1 CE

Postar um comentário

0 Comentários