Ministério público denuncia gerente da Zara por racismo contra delegada


O Ministério Público do Estado do Ceará denunciou por racismo o gerente da loja Zara em Fortaleza onde uma delegada negra foi barrada. O caso ocorreu em 19 de setembro, e a denúncia data desta quarta-feira (1º).

Na época, a loja disse à policial que ela tomava sorvete, estava sem máscara, e por isso não podia entrar na unidade. Imagens de câmeras de segurança no interior da loja, no entanto, mostram que pessoas brancas sem máscara entraram no local no mesmo dia em que a delegada foi barrada.

 

“Embora, o delatado tenha afirmado que todos os funcionários são orientados a abordar e orientar quem não esteja fazendo o uso adequado da máscara de proteção e que no dia dos fatos não teve contato com nenhum cliente que não estivesse de máscara, os vídeos do dia 14/09/2021 demonstram o contrário, considerando que diversas pessoas entraram no estabelecimento comercial fazendo uso inadequado da máscara”, diz um trecho da denúncia.

“Constatou-se que esses clientes não foram orientados a colocar a máscara de proteção e alguns foram atendidos normalmente por funcionários da Loja Zara, inclusive, 20 minutos antes da prática do delito, o denunciado atendeu uma mulher no caixa do estabelecimento que não estava consumindo alimento e estava como máscara no queixo, sem cobrir nariz e boca”, continua o documento.

Segundo investigação da Polícia Civil, funcionários da loja foram orientados a usar o código “Zara zerou” no circuito interno de alto-falantes da loja para alertar quando clientes negros “suspeitos” entravam na loja.

Postar um comentário

0 Comentários