”Volta às aulas” no Cariri e pediatra alerta para os cuidados com as crianças


Especlialista lembra sobre as medidas de prevenção que não podem ser descuidadas pelas famílias e escolas

De acordo com o Boletim Epidemiológico da Prefeitura de Juazeiro do Norte, já foram vacinadas com a 2ª dose 175.304 pessoas e 5.150 tomaram a vacina de dose única em Juazeiro do Norte até o dia 13/01/2022 (fonte: Prefeitura de Juazeiro do Norte).

Apesar da diminuição dos números de contaminações e mortes por covid-19 e o avanço da vacinação à população brasileira, ainda há pais desconfortáveis com a volta às aulas híbridas e presenciais.

O médico pediatra Walden de Alencar Bezerra Neto orienta “[…] ter o cuidado, sempre, de usar máscara. Além do covid-19 que a gente já tem acompanhado, temos aí a epidemia de H3N2 que é um tipo de virose […]”.

“Assim como o covid-19, a H3N2 se compartilha por gotículas. Então, sempre manter o uso da máscara, trocar a máscara a cada 03 horas, evitar que a máscara fique úmida, evitar pegar na máscara e evitar o compartilhamento de alimentos e objetos de uso pessoal”, disse Dr. Walden.

É importante que haja averiguação dos pais nas escolas, reavaliando se a estrutura e cuidados contemplam a saúde e segurança do filho. A escola deve seguir as orientações da OMS, adaptar sua estrutura e treinar os colaboradores para que haja a prevenção dentro e fora do ambiente escolar.

Vale ressaltar que, as medidas de prevenção necessárias nessa faixa etária se caracterizam por:
lavar as mãos frequentemente com sabão ou utilizar álcool em gel;
evitar tocar boca, nariz e olhos;
utilizar máscaras sob a supervisão de um adulto, se maiores de 02 anos;
e desinfetar superfícies e objetivos passíveis de contaminação.

Com isso, os pais e escola devem orientar e tornar disponíveis às crianças os materiais adequados para a prevenção da contaminação pelas doenças e variantes do covid-19.

Além disso, o aluno, colaborador ou familiar que apresentar sintomas como gripe, tosse, perda do olfato/paladar, coriza, dor de garganta, febre acima de 38ºC e/ou dificuldade em respirar não deverá comparecer à instituição de ensino e deve, também, entrar em contato com a coordenação da escola para a tomada das devidas decisões.

Zelar pela saúde das crianças, familiares e profissionais deve ser de atitude coletiva.

Assessoria Commonike

Postar um comentário

0 Comentários