DIA DAS MÃES: Pesquisa revela que 40% das mães que queriam só um “extra”, viraram empresárias


Amigas, comadres e parceiras de negócios, Edilania e Monike são mães, empreendedoras e assim, fortalecem o número de mulheres donas do próprio negócio

“Ser mãe e empreender é desafiador, porque são muitas questões para administrar todos os dias, o filho adoece, o outro que está na escola, precisa de ajuda que está aprendendo a ler, minhas filhas tem idades diferentes. E no meio desse turbilhão todo, a gente tem boleto para pagar, tem feira para fazer, tem cliente para atender, tem entrevistas para preparar, enfim, tem o trabalho do dia a dia, mas é prazeroso, porque eu sou comunicadora e trabalho com o que eu amo”. É assim que Monike Feitosa, jornalista e proprietária da Commonike Assessoria e Marketing explica sua rotina de empreendedora e mãe.

A dupla jornada nem sempre é fácil para a mãe da (Nicole Maria de 7 e Manuela de 3), mas é gratificante “Pra mim que sou jornalista, que sou empreendedora, a maternidade é a minha melhor versão, meu melhor papel é o que me faz querer melhorar no dia-a-dia, como pessoa, como profissional”, afirma

Monike Feitosa ressalta que, mesmo que seja cansativa, quando a mulher consegue atingir os seus objetivos ela se torna mais feliz e deixa um recado “eu digo para as mães que se você sonha em trabalhar por conta própria, a maternidade só vai aumentar esse desejo de poder fazer o seu horário, de acompanhar seu filho, de levar ele para algumas coisas que se fosse na empresa dos outros, você não poderia, mas como é na sua você pode”, finaliza

E é com o intuito de beneficiar os filhos e crescer pessoalmente que
Maria Edilania de Oliveira, 35 anos, dona da loja de acessórios e variedadedes ‘Amarrado em Você’ tenta equilibrar diariamente carreira e maternidade “deixá-los muitas vezes chorando, parte meu coração, mas, ao mesmo tempo, tenho a certeza que estou atrás de algo melhor para eles”.

A caririense abriu o seu negócio durante a pandemia de Covid-19, assim como fizeram cerca de 40% das mães que buscavam renda extra nesse período, segundo a pesquisa da Rede Mulher Empreendedora (RME). “Apesar dos medos e inseguranças do mundo dos negócios, um dos maiores benefícios de empreender é poder fazer o meu horário de acordo com a necessidade da minha família”, ressalta a empresária

Edilania é mãe de três crianças e concilia a responsabilidade de gerenciar uma loja com o amor à maternidade “aprendi muita coisa (com a maternidade). Aprendi a ter paciência todos os dias, muitas vezes, a chorar com eles por um simples dente que está doendo. Você aprende tanta coisa. Todo dia é um sorriso, um abraço, antes de dormir é uma história, uma boa noite. É como se as coisas pequenas passassem a importar mais”, finaliza.

Assessoria Commonike

Postar um comentário

0 Comentários