Caixas para entrega de bebês se multiplicam nos EUA em meio a debates sobre aborto


Instalada num quartel de bombeiros em Carmel, no estado de Indiana, a Safe Haven Baby Box (caixa para bebês refúgio seguro) parecia um recipiente para receber livros de biblioteca devolvidos. Estava disponível havia três anos para qualquer pessoa que quisesse abandonar um bebê ali de maneira anônima.

Mas ela nunca havia sido usada –até o início de abril. Quando o alarme disparou, o bombeiro Victor Andres abriu a caixa e, para seu espanto enorme, encontrou ali um recém-nascido envolto em toalhas.

A descoberta chegou ao noticiário local, que elogiou a coragem da mãe e descreveu o ocorrido como “um momento para celebração”. Depois, no mesmo mês, Andres tirou outro bebê da caixa, desta vez uma menina recém-nascida. Em maio, um terceiro bebê apareceu. Até a chegada do verão, três outros bebês tinham sido deixados em outros pontos do estado que contam com as caixas para receber bebês.

As caixas para bebês fazem parte do movimento do refúgio seguro, há anos estreitamente vinculado ao ativismo antiaborto. Os refúgios seguros oferecem a mães desesperadas uma maneira de entregar seu recém-nascido para adoção de modo anônimo –com isso, segundo seus defensores, evitando machucar, abandonar ou mesmo matar os bebês.

Nos últimos cinco anos, mais de 12 estados aprovaram leis permitindo a instalação de caixas para bebês ou ampliando opções de refúgio seguro. Especialistas dizem que as entregas de bebês a refúgios seguros provavelmente vão aumentar após a decisão da Suprema Corte de revogar Roe v. Wade.

Via Folha de S Paulo

Postar um comentário

0 Comentários