PF investiga ex-candidatos, filiados a partidos e empresários em operação no Ceará


Filiados a partidos políticos, alguns que foram candidatos, além de empresários e profissionais liberais estão entre os investigados na operação da Polícia Federal sobre atos antidemocráticos no Ceará. A informação é do delegado regional de Polícia Judiciária Alan Robson Alexandrino, da Polícia Federal, em entrevista coletiva na manhã desta quinta-feira, 20. Os nomes dos alvos não foram informados.

A operação, batizada Impávido Colosso, trata do fechamento da rodovia BR-116 no Ceará por manifestantes que questionavam o resultado da eleição do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), e posteriormente se transferiu para as imediações da 10ª Região Militar, no Centro de Fortaleza. Os alvos, conforme o delegado, foram pessoas que participaram de planejamento, organização e fornecimento dos insumos para os atos.

“O foco da investigação não foi identificar o cidadão que estava lá protestando, indevidamente ou não, mas quem financiou os atos e liderou o movimento”, disse o procurador da República Ricardo Magalhães de Mendonça, na mesma entrevista. O Ministério Público Federal e a Polícia Rodoviária Federal participam da operação.

“Estar ali presente pode não configurar crime, mas quem preparou o evento, pela magnitude do que foi, as concentrações que eram realmente centenas de pessoas. Quem liderava aquilo ali, quem financiava, quem fornecia meios de logística, subsistência, acampamentos, água, alimentação, caminhões, todo esse aparato que era fundamental para que os crimes fossem praticados”, acrescentou o procurador.

São alvos da operação financiadores, quem forneceu estrutura, transportou manifestantes, forneceu caminhões para fechar a BR-116, quem colocou banheiros químicos perto da 10ª Região Militar, quem forneceu água e comida, entre outros insumos.

Via O Povo

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem