Ceará registra mais de 20 ataques em 4 dias


Ceará tem ônibus e carros incendiados em onda de ataque que ocorre desde o fim de semana — Foto: Evenilson Pinto/Arquivo Pessoal. Pelo menos três ônibus do transporte coletivo, dois carros da empresa Enel Distribuição Ceará e um carro da Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) foram incendiados em Fortaleza nesta segunda-feira (23). Testemunhas afirmam que homens colocaram fogo nos veículos usando gasolina. As ações começaram por volta de 12h. Uma pessoa ficou ferida. Desde esta sexta-feira (20), pelo menos 22 ataques foram registrados no estado. Sete pessoas foram capturadas, segundo a polícia.

Caminhões, carros particulares, veículos de transporte coletivo, uma torre de telefonia e uma loja revendedora de veículos estão entre os alvos atacados. Um motorista ficou ferido na perna em um dos ataques a uma topique no Bairro Sítio São João, em Fortaleza.

Foram registrados 12 ataques em Fortaleza e um em Paracuru, totalizando 13 ações criminosas até as 20h30 desta segunda. Neste último, uma fonte da polícia afirma que um ônibus escolar foi incendiado na cidade, no entanto, a Prefeitura de Paracuru nega o ocorrido.

Com os ataques, a frota de ônibus de Fortaleza e Região Metropolitana foi reduzida e operou com acompanhamento da Polícia Militar nesta segunda-feira.

A Secretaria da Segurança Pública do Ceará (SSPDS) informou que, ao todo, sete suspeitos foram capturados por envolvimento nas ações criminosas. Outras cinco pessoas teriam sido identificadas, segundo a secretaria. Os crimes se assemelham à série de ataques coordenados por membros de facção ocorridos em janeiro deste ano no estado. A SSPDS considera que os ataques começaram no sábado (20), mas na sexta-feira (20) houve um caminhão roubado em Quixadá, que foi incendiado em Quixeramobim – caso que ainda não está esclarecido.

Policiais militares de férias vão ser convocados para retornar às atividades, e servidores que estavam em cursos tiveram as aulas suspensas para reforçar o policiamento ostensivo, informou a secretaria.

Sequência de ataques no Ceará

Sexta-feira (20): Caminhão roubado em Quixadá e incendiado em Quixeramobim;Sábado (21): ataque contra torre de telefonia em Messejana; um caminhão de frios incendiado na Avenida das Adenanteras, no Bairro Cidade 2.000;Domingo (22): ataques a três caminhões na BR-116 no Bairro Ancur; posto de combustível em Quixadá, e um incêndio que destruiu um veículo carregado de papel higiênico em Maracanaú, além de um ataque incendiário a um caminhão no Bairro Cidade 2000, um carro da Enel atacado em Quixadá e tentativa de ataque a uma loja de veículo na Avenida Godofredo Maciel;Segunda (23): ônibus incendiados nos bairros Ancuri, Aracapé e Canindezinho (empresa Fretcar), ataque a dois carros da Enel (nos bairros Jangurussu e Conjunto Esperança), uma topique incendiada no Bairro Sítio São João, um ônibus escolar atacado na cidade de Paracuru, uma topique incendiada no Bairro Vila Velha, um carro da Cagece queimado, um carro da empresa Mob atacado, um micro-ônibus incendiado no Parque São José, um ônibus da empresa Vitória queimado na ponte da Barra do Ceará e ônibus de banda de forró na mesma área.

Segundo uma fonte do sistema penitenciário informou à reportagem, a hipótese para a sequência de ataques é que agentes de segurança detectaram e impediram um plano de fuga em massa de um presídio em Aquiraz, na Grande Fortaleza. O projeto da fuga foi achado em um papel na boca de um detento.

Ainda conforme a fonte, os internos que iriam fugir passaram por um regime disciplinar mais rigoroso, com vistorias nas celas mais frequentes e a permanência em áreas isoladas da detenção. A punição dos presos levou aos ataque do lado de fora das unidades prisionais.

Pelo WhatsApp, o secretário da Administração Penitenciária, Mauro Albuquerque, e o chefe da PM no Ceará, Alexandre Ávila de Vasconcelos, pedem para que as equipes de segurança fiquem de alerta. “Mais uma vez o Estado está sob ataques, tudo indica. Temos que novamente mostrar que o estado não cederá nenhum milímetro”, afirmou Mauro Albuquerque.

O governador do Ceará, Camilo Santo, afirmou que “não iria recuar” das medidas mais rigorosas nos presídios do estado. “Não recuaremos em absolutamente nada nas medidas que foram tomadas até aqui. Muito pelo contrário, seremos cada vez mais rigorosos com quem desrespeitar a lei. A possibilidade do retorno às regalias nos presídios é zero.”

Fonte: G1

Comentários