Roda de Conversa sobre transtornos mentais e processos de cura acontece no CRAS Vila Alta


A Secretaria Municipal do Trabalho e Desenvolvimento Social do Crato (SMTDS), por meio do Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) Vila Alta, realizou na tarde de ontem uma roda de conversa com o grupo de famílias sobre transtornos mentais e os processos de cura.

O momento foi conduzido pelas profissionais do Centro de Referência da Mulher (CRM) do Crato, a psicóloga Franciele Felix e a assistente social Jorgiane Martins que abordaram a temática dos problemas psicossociais de maneira leve e de fácil entendimento.

Na ocasião a profissional da beleza, Aila Domingos Feitosa, deu um emocionante depoimento sobre as problemáticas que vivenciou em sua trajetória de vida, suas batalhas e suas conquistas. “Conto minha história de tristezas e de vitórias porque sei que posso ajudar as pessoas a minha volta. Hoje posso sentir aqui a energia do amor”, disse Aila que é aluna do SENAC, através do Projeto Crato Transformando Realidades Sociais.

Para a psicóloga do CRM, Franciele Felix, esses momentos são muito importantes e terapêuticos. “Em rodas de conversa como essa podemos expor o que está no coração, e ser ouvidos com respeito, atenção e acolhimento. A cura pode vir por meio de palavras edificantes, do carinho que recebemos e também da gratidão”, destacou.

Dona Teresinha de Jesus, uma das idosas assistidas pelo CRAS, agradeceu a forma com que foi recebida no centro desde a primeira vez que lá entrou. “Tenho muita gratidão pela força, carinho e atenção que tenho aqui, um lugar de muita alegria e que me tornou uma pessoa melhor”, ressaltou.

“Nós do CRAS Vila Alta, estamos sempre buscando promover estratégias de fortalecimento da autoestima, bem como de oferecer aos nossos usuários, momentos onde eles possam se sentir especiais e queridos. Realizamos encontros como esse, por meio do Serviço de Proteção e Atendimento Integral à Família (PAIF), de forma semanal, sempre com uma temática atual e interessante”, explicou Tarcilia Vieira de Alencar, coordenadora do equipamento.

O PAIF versa no trabalho social com famílias, tem caráter continuado, objetiva fortalecer a função protetiva da família, prevenir a ruptura de seus vínculos, promover seu acesso e usufruto de direitos, contribuindo para a melhoria de sua qualidade de vida. Prevê o desenvolvimento de potencialidades e aquisições das famílias e o fortalecimento de vínculos familiares e comunitários, por meio de ações de caráter preventivo, protetivo e proativo.

Informações da assessoria de imprensa

Comentários