Morre o diretor e cineasta Fábio Barreto


Morreu hoje, aos 62 anos o cineasta, ator, produtor e roteirista Fábio Barreto. Diretor indicado ao Oscar por O Quatrilho, ele estava em coma desde dezembro de 2009. Ele estava internado no Hospital Samaritano, no Rio de Janeiro.

O diretor de O Quatrilho (2010) _filme estrelado por Glória Pires e Patricia Pillar que ganhou o Oscar de Melhor Filme Estrangeiro_, e diretor e co-autor de Lula, o Filho do Brasil (2010), sofreu um acidente de carro em dezembro de 2009, episódio que o levou ao coma. Ele dirigia uma Pajero Mitsubishi na rua Real Grandeza, no bairro de Botafogo, no Rio de Janeiro. Por volta das 20h50, Fábio tentou desviar de um outro veículo que passava pelo mesmo local, acabou capotando e indo parar do outro lado da pista.

De acordo com reportagens publicadas na época, Fábio Barreto foi levado ao Hospital Municipal Miguel Couto, onde foi submetido a uma neurocirurgia, sendo transferido para o hospital Copa D`Or com politraumatismos e predominância de traumatismo cranioencefálico. Ele foi submetido a um coma induzido e passou a respirar com a ajuda de aparelhos. Ele deixou o hospital em março deste ano para continuar o tratamento em casa.

Filho do cineasta Luiz Carlos Barreto e da produtora Lucy Barreto, ele deixa quatro filhos: Júlia, Mariana, Lucas e João. O último é fruto do relacionamento com a atriz Débora Kalume, com quem era casado desde 2003. Ela estava grávida quando ele sofreu o acidente.

Um dos nomes mais importantes do cinema nacional, Fábio Barreto dirigiu 13 filmes. O mais polêmico foi “Lula, o filho do Brasil”, baseado no livro de Denise Paraná, que conta a história do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

O cineasta foi indicado ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro com O Quatrilho, baseado no livro homônimo de José Clemente Pozenato, e estrelado por Glória Pires e Patrícia Pillar.

Com informações: Marie Claire e Quem

Fonte Notícias ao Minuto

Comentários