Taxa de desemprego no Ceará cresce e chega a 11,3% no terceiro trimestre de 2019, aponta IBGE


Divulgada nesta terça-feira (19), pelo Instituo Brasileiro de Geografia e Estatísitca (IBGE), a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua apontou o estado do Ceará registrou um aumento na taxa de pessoas desocupadas, saindo de 10,9% no segundo trimestre de 2019 para 11,3% no terceiro trimestre, ocupando a 14° posição dentre os 26 estados.

No país, a taxa de desocupação  3º trimestre de 2019 foi de 11,8%, com redução de 0,2 ponto percentual (p.p.) frente ao 2° trimestre de 2019 (12,0%) e estabilidade em relação ao mesmo trimestre de 2018 (11,9%). As maiores taxas foram observadas na Bahia (16,8%), Amapá (16,7%), e Pernambuco (15,8%) e as menores em Santa Catarina (5,8%), Mato Grosso do Sul (7,5%) e Mato Grosso (8,0%).

No que se refere ao percentual de pessoas desocupadas po insuficiência de horas trabalhadas ( taxa composta de subutilização da força de trabalho ), o Ceará atingiu o percentual de 30,2%, chegando a 10° posição. As maiores taxas ficaram com Maranhão (41,6%) e Piauí (41,1%).

Por outro lado, os estados onde foram observadas as menores taxas foram: Santa Catarina (10,6%), Mato Grosso (14,7%), Rio Grande do Sul (16,3%) e Mato Grosso do Sul (16,3%).O número de desalentados no 3º trimestre de 2019 foi de 4,7 milhões de pessoas de 14 anos ou mais.

Os maiores contingentes estavam na Bahia (781 mil) e no Maranhão (592 mil) e os menores em Roraima (17 mil) e Amapá (19 mil).Em relação ao tempo de procura, no Brasil, 46,9% dos desocupados estavam de um mês a menos de um ano em busca de trabalho e 25,2% há dois anos ou mais.

No Brasil, 1,8 milhão de desocupados buscavam trabalho há menos de um mês, enquanto 3,2 milhões procuravam uma ocupação há 2 anos ou mais O material de apoio desta divulgação está à direita.

via Ceará Agora

Comentários