Brasil tem 37.359 mortes por Covid-19, aponta consórcio de veículos de imprensa


O Brasil registra 711.696 casos confirmados de Covid-19 e 37.359 óbitos pela doença. O balanço é do consórcio formado entre os veículos GLOBO, Extra, O Estado de S. Paulo, Folha de S.Paulo, G1 e UOL. Os números foram atualizados às 8h da manhã desta terça-feira. Foram 809 novas infecções e 47 mortes a mais desde a última atualização, na noite de segunda-feira.

PUBLICIDADE

Na última atualização, eram 710.887 infecções pelo coronavírus. A diferença se refere à atualização dos números pelas secretarias de Saúde dos estados de Sergipe, Roraima e Goiás. A parceria entre os veículos de imprensa, anunciada nesta segunda-feira, tem como objetivo trabalhar de forma colaborativa para compilar os dados sobre a pandemia. Os números serão coletados diretamente com as secretarias de Saúde dos 26 estados mais o Distrito Federal.

A iniciativa foi celebrada por associações e especialistas que acompanham a pandemia no país. A colaboração entre os jornais, anunciada ontem, foi formada depois que o Ministério da Saúde passou a retardar a divulgação dos últimos índices da pandemia até um horário inviável para telejornais e veículos impressos. Além disso, a pasta deixou de divulgar números consolidados, limitando-se a apresentar somente dados de casos e mortes registrados nas últimas 24 horas.

Embora o empresário Carlos Wizard Martins, convidado a assumir a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do ministério, tenha levantado a possibilidade de que o número de óbitos por coronavírus fosse recontado, definindo os dados atuais como“fantasiosos ou manipulados”, o secretário executivo do ministério, Élcio Franco, disse nesta segunda-feira que não haverá recontagem dos casos. Wizard acabou desistindo de assumir o cargo.

Ainda assim, o ministério cometeu novo erro na contabilização divulgada neste domingo, apresentando índices conflitantes relacionados ao número de casos e óbitos. Em nota divulgada nesta segunda-feira, a Saúde atribuiu o problema a “duplicações” e erros de revisão na quantidade de mortes de Roraima e da quantidade de diagnósticos no Ceará.

Na última segunda-feira, a Organização Mundial de Saúde (OMS) se pronunciou esta segunda-feira, pedindo que o governo seja “transparente” com informações sobre a pandemia.

— O Brasil precisa entender onde o vírus está, como controlar os riscos. A OMS espera que a comunicação seja consistente e transparente — afirmou Michael Ryan, diretor executivo do Programa de Emergências em Saúde da instituição — A OMS entende que o governo brasileiro continuará relatando diariamente dados sobre a incidência e mortes de forma separada.

Com a onda de críticas, o Ministério da Saúde comprometeu-se a divulgar às 18h seu levantamento. Segundo os dados liberados esta segunda-feira, o Brasil tem 707.412 casos confirmados e 37.134 mortes. Nas últimas 24 horas, desde o último boletim, houve registro de 15.654 novas ocorrências da doença, além e 679 novos óbitos.

Foto: Reprodução

Fonte: Portal O Globo

Postar um comentário

0 Comentários