Sai o terceiro lote da 1ª parcela do auxílio emergencial


O Ministério da Cidadania informa que, após a análise de 8,9 milhões de CPFs, requerimentos feitos entre 1 e 26 de maio, foi enviado para a Caixa nesta sexta-feira (12) o lote 3 da primeira parcela do auxílio emergencial de R$ 600, que contempla 4,9 milhões de requerentes elegíveis.

Os créditos em poupança digital serão feitos dia 16/06 para os nascidos entre janeiro e junho, e 17/06 para os nascidos entre julho e dezembro. O valor total é de R$ 3,1 bilhões.

Os beneficiários podem consultar se o cadastro foi aprovado pelos canais oficiais da Caixa: site: auxilio.caixa.gov.br e aplicativo Caixa| Auxílio Emergencial.

A Caixa esclarece que os pagamentos são iniciados em até 3 dias após o recebimento da informação da aprovação encaminhada pela Dataprev e a disponibilização dos recursos financeiros pelo Ministério da Cidadania. Os valores são creditados em Conta Poupança Social Digital quando o cidadão não informa outra conta de sua titularidade para recebimento, na Caixa ou em qualquer outra instituição financeira.

Atendimento digital
A prioridade da Caixa é manter o atendimento digital. Dessa forma, o banco reforça a orientação de que os recursos do auxílio sejam movimentados por meio do aplicativo Caixa Tem.

O beneficiário que recebe pela poupança social digital pode emitir o cartão de débito virtual para compras pela internet em sites e aplicativos que aceitam débito. A emissão do cartão é gratuita e a compra é debitada diretamente da conta, sem precisar sair de casa.

Para gerar o cartão, basta acessar o app e selecionar a opção “Cartão de Débito Virtual”, na tela inicial. Com mais dois passos, o aplicativo envia a imagem do cartão com os dados para o usuário utilizar na internet.

Para usar o cartão de débito virtual basta informar os dados disponibilizados pelo App nos sites e aplicativos que aceitam débito. As compras são seguras porque para cada transação é gerado um código de segurança, enquanto nos cartões normais o número é sempre o mesmo. Para as compras recorrentes, o número é salvo e não é preciso gerar um código a cada compra.

Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Fonte: Exame

Postar um comentário

0 Comentários