Trump diz que daria ‘bênção’ a negócio entre Oracle e TikTok; governo fala em adiar bloqueio ao app


O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou neste sábado (19) que aprovaria a negociação proposta pela Oracle e, segundo ele, também pela gigante do varejo Walmart com a empresa chinesa ByteDance para criar uma operação interna do aplicativo TikTok, depois de ameaçar um banimento da rede social do território americano.

Após a fala de Trump, segundo agências internacionais, o Departamento de Comércio confirmou em um comunicado que iria atrasar – em uma semana – as restrições que deveriam entrar em vigor neste domingo (20).

Trump disse aos repórteres na Casa Branca que daria sua “benção” ao negócio, que atenderia às suas preocupações com a segurança nacional. O TikTok tem mais de 100 milhões de usuários no país, e autoridades americanas haviam expressado preocupação com a captação e uso de dados pela China.

“A segurança será 100%. Conceitualmente, é um bom negócio para os Estados Unidos”, afirmou Trump. “Dei minha benção ao acordo.”

A nova companhia seria chamada de TikTok Global e ficaria baseada nos Estados Unidos, no estado do Texas. De acordo com a Reuters, os sócios americanos teriam 53% da nova empresa, enquanto chineses ficariam com uma fatia de 36%.

Segundo Trump, a nova empresa seria totalmente controlada por Oracle e Walmart e geraria até 25 mil empregos no país. O Walmart, inclusive, deve colocar seu presidente-executivo, Doug McMillon, na diretoria do TikTok Global.

Além de tocar a operação da rede social no país, a empresa deve ter a maioria dos executivos americanos, incluindo o CEO, além de um diretor especialista em segurança. A Oracle ficaria responsável pela gestão de dados da empresa e teria acesso aos códigos da ByteDance.

O TikTok afirma estar “agradecido de que a proposta da Oracle e Walmart vá resolver os receios de segurança do governo dos Estados Unidos” e resolver questões sobre o futuro da rede social no país.

Banimento

As primeiras sanções de Washington contra o TikTok, acusado de ameaçar a segurança nacional dos Estados Unidos, deveriam entrar em vigor neste domingo e envolveriam também o aplicativo de mensagens We Chat, uma espécie de “WhatsApp” chinês.

A medida diz que o We Chat seria banido a partir deste domingo, assim como novos downloads do TikTok. Mas quem já fosse usuário do app de vídeos poderia acessar essa plataforma até 12 de novembro.

É um período que potencialmente permitiria o TikTok, de propriedade da ByteDance, da China, fechar negócio com uma empresa americana para apaziguar as preocupações de Washington.
O governo Trump afirma que as medidas são essenciais para neutralizar o potencial de espionagem da China por meio das plataformas.
Pequim reagiu no último sábado, chamando a decisão dos EUA de “intimidação”, pouco antes de estabelecer um mecanismo que permitiria sancionar empresas estrangeiras.
* (com informações da agência Reuters)

Foto: Reuters/Dado Ruvic

Fonte: Portal G1

Postar um comentário

0 Comentários