Debora Diniz cria Instagram para homenagear mulheres mortas durante a pandemia


“Parece que o remédio milagroso não faz milagre. Acelera o risco de morte. Ela tinha 53 anos, morreu da cloroquina “, diz uma das legendas

A pesquisadora Debora Diniz criou uma conta de Instagram para homenagear mulheres mortas durante a pandemia de coronavírus. A ideia é contar uma história por dia, que vem acompanhada de uma foto com intervenção do artista Ramon Navarro. São textos curtos e poéticos, falando sobre semblantes, profissões e aspirações.

Acesse aqui o perfil no instagram

“Parece que o remédio milagroso não faz milagre. Acelera o risco de morte. Ela tinha 53 anos, morreu da cloroquina “, diz uma das legendas.

“Ela foi a terceira a morrer. Sem nome ou testemunho, foi assim descrita ‘a terceira’. Virou a idosa. O consolo de quem conta são as ‘comorbidades’”, diz outra.

A ideia, segundo Debora, é “fazer da perda um luto público e político” e manter a memória dessas mulheres diante de notícias que as transformam em números.

Do site Fórum

Postar um comentário

0 Comentários