Rapaz de 21 anos acusa Anderson do Molejo de estupro


O rapaz abriu um boletim de ocorrência contra o cantor narrando todo o suposto episódio de violência sexual em um motel

Anderson Leonardo, vocalista do grupo Molejo, está sendo acusado de estupro por um rapaz de 21 anos que compareceu na 33ª Delegacia de Polícia do Rio (Sulacap) e registrou um boletim de ocorrência contra o cantor. As informações são do colunista Alessandro Lobianco, do programa ‘A Tarde É Sua’.

O rapaz afirma que foi violentado pelo cantor no dia 11 de dezembro e, em seu depoimento às autoridades, ele diz que Anderson supostamente teria marcado uma reunião, mas em vez de ir para algum local onde os dois pudessem fazer uma refeição e conversar sobre trabalho, Anderson o teria o levado para um motel chamado Queen. Ele diz ainda que estranhou o fato de terem entrado no local e que teria ficado constrangido com a situação. Ainda de acordo com o rapaz, Anderson, ao perceber o suposto constrangimento, teria dito: “Calma, é uma reunião sigilosa que pode mudar a sua carreira”.

O jovem diz ainda que após ter tirado o seu celular de suas mãos e desligado o aparelho, Anderson o teria jogado na cama e então teria se despido e desferido dois tapas em seu rosto. Ele conta que ficou assustado e chorou quando o vocalista do Molejo teria dito: “Não chora seu filha da puta, sua vagabund* piranh*”. Logo em seguida Anderson teria arrancado as vestes da suposta vítima, que desesperadamente teria dito: “Para que sou virgem”. O cantor, segundo consta no documento, teria respondido: “Put* não é virgem”, e depois insistentemente teria tentado penetrar seu pênis na vítima. O rapaz afirma que tentou repelir Anderson com empurrões e que depois de muito insistir o vocalista “conseguiu o seu designo” e contra sua vontade o penetrou. Ele narra ainda que Anderson não usou camisinha nem lubrificante e que, por encontrar muita dificuldade para penetrá-lo disse: “Por que você que é put*, piranh*, eu não consegui enfiar meu pa* em você”.

Seguido de supostas novas agressões em seu rosto, a vítima contou que, já sem forças, continuava a afirmar que era virgem. Ele continua seu relato informando que logo após terminar seu ato libidinoso, Anderson teria percebido que, de fato, ele era virgem, pois começou a sangrar bastante. Muito nervoso, o jovem contou à polícia que desmaiou, sendo acordado em seguida pelo acusado. No momento em que ele teria restabelecido seus sentidos, teria escutado Anderson dizer: “Que merda que eu fiz”.

Na delegacia, o jovem afirmou ter como prova uma cueca que usava e que contem manchas de sangue e que ali é identificado também vestígios de esperma deixados por Anderson. Ele contou que conheceu o vocalista do Molejo há oito meses e que havia demonstrado, na ocasião, o interesse em fazer um trabalho artístico com o cantor.

Ele explica que não denunciou Anderson desde a época dos fatos, por vários motivos, um deles o fato de ter ficado com muito medo de retaliações por parte do vocalista, pois afirmou que Anderson teria muito conhecimento em meio à criminosos. Além disso, afirma que teve medo de noticiar o fato no seu meio social e familiar, por ser visto como um oportunista e não acreditarem em sua narrativa. Ele reforça que depois de muito dialogar com sua mãe, decidiu ir à polícia narrar os fatos para as medidas cabíveis.

O Dia.

Postar um comentário

0 Comentários