Ministro de Minas e Energia descarta horário de verão no país nos próximos anos


O ministro Bento Albuquerque, de Minas e Energia, afirmou nesta quarta-feira (6) que não haverá horário de verão no Brasil nos próximos anos. Ele disse também que está descartada a possibilidade de haver racionamento ou apagão. A afirmação foi concedida durante entrevista ao Sistema Verdes Mares.

Bento Albuquerque visita Fortaleza para participar do Proenergia 2021, evento anual realizado pelo Sindicato das Indústrias de Energia e de Serviços do Setor Elétrico do Ceará.

Segundo o ministro, um levantamento da pasta indicou não haver necessidade de aplicar o horário de verão.

“Do ponto de vista energético, não há a necessidade da volta do horário de verão. Nós já fizemos uma análise; no ponto de vista energético não se faria necessário. E foi tomada a decisão pelo presidente Bolsonaro de não decretar o horário de verão. Agora em 2021, entre 2020 e 2021, sempre analisamos essa questão. Então o horário de verão não ocorrerá como não vem ocorrendo desde 2019” , disse.

Racionamento de energia

O ministro de Minas e Energia disse também que o Governo Federal faz nos últimos anos um planejamento de energia para evitar racionamento ou um apagão, mesmo com a crise hídrica no país. Segundo Bento Albuquerque, há noves fontes de energia e que outras fontes como o hidrogênio serão utilizadas para evitar um racionamento hídrico.

“Nós estamos com um planejamento de expansão de energia. De transmissão de energia que é atualizado todo o ano. Esse planejamento é que vai mudar essa situação. Como falei para vocês nossa matriz é muito diversificada. Não era também no passado. No passado nós tínhamos quatro fontes de geração de energia, hoje são nove fontes. Daqui a pouco teremos outras fontes também com hidrogênio. Então, a nossa diversidade da nossa matriz vai evitar que o país passe por situações como essa que nós estamos passando no ano de 2021”.

Uma crise hídrica que afeta o país impacta na economia em várias frentes e torna ainda mais frágil a expectativa de uma recuperação robusta da atividade econômica. A seca tem levado ao aumento do preço da conta de luz e se transformou em mais uma pressão inflacionária para a população – que já sofre com a alta de combustíveis e alimentos.

Investimento no Ceará

O ministro de Minas e Energia ainda falou sobre os investimentos que serão feitos no Ceará. De acordo com Bento Albuquerque serão investidos R$ 12 bilhões no estado. Valores divididos para a geração e transmissão de energia.

“Serão investidos R$ 12 bilhões só em geração e transmissão de energia aqui no estado do Ceará nos próximos oito anos. Cerca de R$ 9,5 bilhões em geração de energia e R$ 2,5 bilhões em transmissão de energia”, destacou.

“O Nordeste e o Ceará como um todo já são exportadores de energia para outras regiões do país. O Nordeste tem gerado muita energia eólica, muita energia solar e essa energia tem sido transferida para outras regiões do país particularmente para o Sudeste onde os reservatórios que são as baterias do sistema hidrelétrico brasileiro estão muito baixos. O Nordeste nós chamamos é o cinturão das energias renováveis do nosso país junto com o norte de Minas Gerais”, afirmou.

Foto: Fabiane de Paula/Sistema Verdes Mares / Fonte: Portal G1 CE

Postar um comentário

0 Comentários