Secretaria da Educação do Ceará pede apoio do Exército para garantir aulas em escola ocupada por PMs amotinados


FOTO: MAURI MELO A Secretaria da Educação do Ceará (Seduc) enviou ofício ao comandante da 10ª Região Militar, Fernando José Soares da Cunha Mattos – que é responsável pela Operação Mandacaru durante o período de Garantia da Lei e da Ordem (GLO) no Ceará -, pedindo apoio às Forças Armadas para que uma escola ocupada por supostos policiais amotinados voltasse a funcionar normalmente. 

O ofício enviado pelo gabinete da secretária da Educação, Eliana Nunes Estrela, é do dia 26 de fevereiro deste ano, mas ressalta que a ocupação da Escola de Ensino Fundamental e Médio (EEFM) José Bezerra de Menezes, em Fortaleza, acontece desde o dia 24 do mesmo mês. 

A escola “teve o cadeado da entrada de acesso à escola arrombado e foi invadida”, relata a instituição no documento. Além disso, o ofício afirma que “o vigilante presente no local abordou as pessoas que adentraram à escola, as quais se identificaram como policiais, e informaram que ocupariam o espaço”. 

Segundo o documento enviado ao Exército Brasileiro, os amotinados estão ocupando um bloco com cinco salas de aula, dependências da cozinha e fazendo uso de banheiros utilizados por estudantes. “Tal contexto inviabiliza o funcionamento da referida escola, tendo em vista que os espaços hoje ocupados são essenciais para a retomada regular às aulas”, argumenta a Seduc. 

Em nota, a Secretaria da Educação informou que as aulas na unidade escolar estão interrompidas desde o dia 20 de fevereiro. “No momento, a Seduc avalia a situação e trabalha para que não haja mais prejuízos para os 565 alunos matriculados na escola”. A Secretaria ainda avalia como repor as aulas aos estudantes. 

A reportagem entrou em contato com a 10ª Região Militar, mas ainda não obteve resposta.                (G1 CE)

Postar um comentário

0 Comentários