Ceará registra em setembro maior número de crimes sexuais de 2020


O número de crimes sexuais no mês de setembro foi o maior registrado em 2020 no Ceará. Foram 198 casos contabilizados, segundo as estatísticas da Secretaria da Segurança Pública (SSPDS). Desde o mês de abril, com 88 ocorrências, o número de denúncias vem aumentando.

Os crimes sexuais correspondem a todos os casos de estupro, estupro de vulnerável e exploração sexual de menor. No total, o Ceará teve 1.328 vítimas neste ano.

Número de crimes sexuais no Ceará em 2020

Em relação aos crimes violentos letais intencionais (CVLI), setembro foi o mês com o menor número de ocorrências no ano, com 252 denúncias. Diferentemente dos crimes sexuais, a tendência de queda vem acontecendo desde abril, quando houve o registro de 439 casos.

Entende-se por CVLI a soma de crimes de homicídio doloso e feminicídio, lesão corporal seguida de morte e roubo seguido de morte (latrocínio). Até setembro, foram contabilizadas 3.054 mortes violentas no estado.

Abuso sexual em Banabuiú

Um dos casos recentes de crimes sexuais aconteceu no dia 5 de outubro, no município de Banabuiú, na Região Central do Estado. Policiais civis prenderam um homem de 33 anos suspeito de cometer abusos sexuais contra 10 crianças e um adolescente na zona rural da cidade. As vítimas têm entre dois e 13 anos de idade.
Segundo a SSPDS, o homem, cuja identidade não foi revelada para preservar as vítimas, oferecia o próprio celular com jogos eletrônicos para atrair as crianças, e então cometia o crime. Por meio de um boletim de ocorrência, policiais chegaram até o suspeito. Após localizar o homem, a polícia pediu um mandado de prisão preventiva, que foi aceito pelo Poder Judiciário na segunda-feira (5).

Estupro em Mulungu

Outro caso aconteceu em Mulungu, no Maciço de Baturité. 

Um professor suspeito de ter estuprado e engravidado em março a própria enteada – que na época do crime tinha 13 anos – tinha um “quarto erótico” em casa. Ele teria usado o cômodo para violentar a vítima. A Justiça aceitou o pedido de prisão preventiva há cerca de 25 dias, mas o homem segue foragido.

No “quarto erótico” havia algema com pelúcia vermelha sobre a cama. No teto do aposento, havia também um sistema de luzes de LED acoplado a um espelho.

O cômodo fica na casa em que ocorreu o crime. A Polícia Civil informou que concluiu o inquérito policial sobre o caso. O professor foi indiciado por estupro de vulnerável.

O suspeito era professor da rede municipal de ensino de Guaramiranga, cidade distante a cerca de 13 km de Mulungu, onde ocorreu o crime.

Conforme a família da jovem, o estupro aconteceu quando o suspeito ficou sozinho com a vítima e a levou para a casa dele, alegando que iria buscar um calçado e que, depois, a levaria de volta para a residência dela.

O crime, porém, só foi descoberto meses depois, em agosto deste ano, quando uma parente percebeu que a adolescente estava usando roupas mais largas e decidiu que a jovem faria um teste de gravidez.

Após o resultado positivo, a vítima relatou a violência sexual e ainda que o suspeito ameaçou incendiar a casa de sua família se ela falasse sobre o estupro. O suspeito continuou dando aulas após denúncia.

Foto: Agência Diário

Fonte: Portal G1

Postar um comentário

0 Comentários