Mãe e bebê de 10 meses são mortas em acidente no interior do Ceará


A farmacêutica Sarah Luiza Aguiar Barbosa de Oliveira, 30, e o filho Nícolas Aguiar Oliveira, de 10 meses, são as duas vítimas que morreram em um grave acidente entre uma carreta e outros dois veículos, na noite dessa sexta-feira (2), na BR-222, em São Luís do Curu, no interior do Ceará.
No carro também estavam os pais de Sarah e o esposo, pai do bebê, que estão hospitalizados em estado grave, em Fortaleza.

De acordo com Floriano Teixeira Barbosa, tio de Sarah, a família voltava de uma consulta médica na capital cearense, rumo ao município de Itapipoca, a cerca de 130km. “Foi quando o caminhão perdeu o controle, saiu da mão e empurrou eles pro abismo. É um pesar muito grande pra família, todos nós estamos sofrendo muito”, declarou.

O comerciante Urbano César Barbosa, 64, pai da farmacêutica, estava ao volante no momento do sinistro. Segundo informações de familiares, ele quebrou as duas pernas e passou por cirurgia. O Instituto Dr. José Frota, maior hospital de urgência e emergência de Fortaleza, onde a família está internada, confirmou que “Benim”, como é conhecido, está na sala de recuperação, estável.

O estado de saúde de Karla Cecilia Aguiar Barbosa, 58, mãe de Sarah, é grave. A funcionária pública teve múltiplas lesões nos membros inferiores, superiores e no tórax, e está intubada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do hospital. Carlos Guttemberg Alves de Aguiar Oliveira, 27, esposo de Sarah, pai de Nícolas, também teve lesões graves e permanece na UTI.
O corpo de Sarah foi liberado pela Perícia Forense do Ceará (Pefoce) ainda na tarde deste sábado (3), e será velado e sepultado no cemitério Jardim Eterno, em Itapipoca. Não há informações sobre o corpo do bebê.

Em nota, o Conselho Regional de Farmácia do Ceará (CRF/CE) lamentou e descreveu como “irreparável” a perda da profissional e do filho.

“Prestamos solidariedade aos amigos e familiares de Sarah, que prestou um trabalho exemplar em Itapipoca. Rogamos para que Deus possa confortá-los nesse momento de grande dor.”

Acidente

Para Gilvania Barbosa Alves, familiar das vítimas, o acidente reflete “falta de fiscalização” sobre os veículos de carga nas estradas do interior do estado. “Eu soube do acidente pelas redes sociais. É um susto muito grande que tomei. O que vemos nas BRs são caminhões carregando madeira de forma irregular, desmatando o meio ambiente, os caminhões num estado deplorável. E sem fiscalização. Agora é rezar pra que Deus ajude os que estão no hospital e traga conforto pelos que se foram”, lamenta a professora.

O chefe da Polícia Rodoviária Federal (PRF) no município de Sobral, David Breno Queiroz, afirma que foi instituído, em julho deste ano, o Grupo de Fiscalização de Trânsito e Transporte (GFT), exclusivo para vistoria de veículos de carga. “Mas, por lógica e obviedade, não conseguimos fiscalizar todos os caminhões de carga que passam na BR. Essa tragédia aconteceu por irresponsabilidade apenas do condutor”, pondera.

O motorista que conduzia a carreta, carregada com madeira, fugiu do local e está sendo procurado pela polícia, assim como o proprietário do caminhão. A investigação sobre o acidente ficará a cargo da Polícia Civil do Ceará (PCCE), após entrega do laudo do acidente pela PRF.

Foto: Arquivo pessoal

Fonte: Portal G1 CE

Postar um comentário

0 Comentários