Mostra Terreiro Cariri está repleta de shows para este fim de semana


 

Prepara a galera porque tem programação cultural, on-line e gratuita, de hoje até domingo.

O Terreiro Cariri MOACPES – Movimento de Arte e Cultura do Sopé e Serra do Araripe está repleto de novidades:

Hoje, sexta-feira, às 19h, terá o lançamento do Documentário Terreiro Coletivo Camaradas. O grupo atua no Território Criativo do Bairro do Gesso, em Crato. E uma organização que foi criada em 2007 e atua no campo da democratização estética, artística, cultural e literária a partir de um viés da transversalidade da cultura e do direito à cidade. Desenvolve ações no campo da urbanização social, como a conquista do Sítio Urbano do Gesso. Promove a articulação em rede das organizações da sociedade civil e poder público.

Às 19h30 tem show com a banda cratense Roda de Incenso. O grupo traz repertório com muito reggae, mistura de ritmos e letras autorais, criando assim o Reggae Kariri. A Roda de Incenso faz parte de uma nova geração de bandas, que surgem no Cariri com uma pesquisa artística, matutada no imaginário Cariri e nos psicodélicos efeitos tribais e contemporâneos. O coletivo roda de incenso incentiva novas produções artísticas com participações efetivas nos maracatus e batuques do Cariri e oficinas de música, dança e teatro.

Neste sábado, 21, às 19h, ocorrerá apresentação do Grupo Urucongo de Artes. Ele surgiu em 2006, fica localizado no Sítio Chico Gomes, zona rural de Crato-CE, desenvolve atividades como: danças tradicionais, artesanato, teatro de rua, musica dentre outros. Urucongo era um dos nomes para o instrumento musical berimbau, que faz parte da cultura negra e de manifestações culturais como a capoeira. A primeira iniciativa do Urucongo foi fazer um resgate da história da comunidade a partir da tradição oral. Foi perguntando e ouvindo histórias dos mais velhos que foi possível reconstruir a história da comunidade desde a chegada dos primeiros engenhos na região.

Às 19h30 do sábado também terá show com Gabi da Pele Preta. Natural de Caruaru/PE, ela desenvolve sua carreira artística há quinze anos, intercalando seus trabalhos entre a música e as artes cênicas. Começou sua carreira musical no grupo Samba de Tamanca e desenvolveu diversos projetos em bares e restaurantes da região. Gabi da Pele Preta tem em si seus próprios levantes como mulher. Quando, por exemplo, desnuda a si mesma e enxerga seu corpo envolto em uma dança de possibilidades, em meio ao propósito artístico de engajar a arte a manifestos.

Foto: Jade Luiza

Postar um comentário

0 Comentários