Vacinação completa chega a 40% da população; 15 milhões estão atrasados


O Brasil alcançou nesta sexta-feira 40% da população acima dos 12 anos com esquema vacinal completo contra a Covid-19. O Mato Grosso do Sul é o estado com maior percentual da população imunizada com as duas doses.

Até agora, mais da metade da população (54,58%) já completou o esquema vacinal. Por outro lado, o estado de Roraima apresenta a menor taxa de cobertura vacinal, apenas 20%. Amapá, Acre e Tocantins seguem na lanterna com menos de 30% da população imunizada com as duas doses. Os percentuais de vacinação foram compilados pelo Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde, da Fundação Oswaldo Cruz.

O governo de Roraima disse que a responsabilidade por buscar quem não tomou a segunda dose é das 15 prefeituras do estado. A Secretaria de Saúde afirmou ainda que “é recente a mudança que foi feita na redução do intervalo de tempo para a aplicação da segunda dose e dessa forma é preciso um tempo maior para a análise do número de pessoas que estão com a segunda dose atrasada”.

Eles alegam que o estado tem cumprido sua responsabilidade em manter o trabalho de distribuição das vacinas “para que as prefeituras façam a sua parte e realizem a aplicação dos imunizantes de forma célere também”. Eles não explicam por que o estado é lanterna no ranking de imunização.

Enquanto isso, o número de pessoas com a 2ª dose em atraso em todo país ultrapassa os 15 milhões de pessoas (15.800.000). De acordo com levantamento feito pela produção da CNN, Minas Gerais é o estado que apresenta o maior número de pessoas sem a 2ª dose. De acordo com a secretaria estadual de saúde de Minas, mais de um milhão e seiscentas mil pessoas (1.648.558) ainda não tiveram o registro da D2 lançado no sistema do Ministério da Saúde. Em segundo lugar está Pernambuco, onde 738.860 pessoas estão com a aplicação da D2 em atraso.

As secretarias estaduais de saúde, que responderam aos questionamentos da CNN, informaram que os municípios, que são os responsáveis pela campanha de imunização contra a Covid, devem fazer busca ativa no sistema para convocar os faltosos.

A Fundação Oswaldo Cruz defende a exigência do passaporte vacinal como política de proteção coletiva e estímulo à vacinação. Os municípios de São Paulo (SP), Suzano (SP), Rio de Janeiro (RJ), Betim (MG) e Florianópolis (SC) já exigem o chamado passaporte de vacinação para que as pessoas possam entrar em alguns locais ou participar de eventos.

Na cidade do Rio, por exemplo, houve aumento na adesão à vacinação após a exigência do comprovante de vacinação contra a Covid. A medida passou a valer no dia 15 de setembro em locais de uso coletivo, como academias, clubes, estádios e cinemas.

A capital fluminense alcançou 99,8% da população adulta vacinada com primeira dose ou dose única. Com a 2ª dose, a imunização chega a 61,1%.

Foto: Divulgação / Fonte: CNN Brasil

Postar um comentário

0 Comentários